fbpx

O Meu Galo Auto Truck quer levar a história do futebol até você. Para isso, desenvolvemos 13 bolas sobre a história do Clube Atlético Mineiro.

O primeiro grande lançamento foi a bola do Ronaldinho Gaúcho, considerado um dos melhores jogadores da história e que deixou o seu legado na Seleção Brasileira e no Galo. Em seguida, foi lançada a bola do Goleiro Rafael, representando o novo momento do Atlético.

Agora, eles liberamos todas as 13 bolas e trouxemos elas aqui para vocês conhecerem:

Bola 1 | 1908-1950

Fundado em 25 de março de 1908, por um grupo de garotos no coreto do Parque Municipal de Belo Horizonte, o Clube Atlético Mineiro iniciava ali, sua trajetória de conquistas e lutas. 

Primeiro campeão mineiro, o Atlético ainda venceu a Copa dos Campeões do Brasil em 1937. Outra glória marcante do Galo ainda na década de 1950, foi a vitoriosa excursão dos Campeões do Gelo, onde time venceu clubes europeus em seus gramados gelados. Esta bola é uma recordação daquela brilhante e vitoriosa geração de jogadores atleticanos.  

Bola 2 | 1950-1960

As décadas de 1950 e 60, foram marcantes para torcida atleticana, época do primeiro pentacampeonato mineiro mostrando a supremacia do time em Minas Gerais.

Outro momento marcante, foi em 19 de dezembro de 1968, foi quando o Galo representou a seleção brasileira contra a seleção da Iugoslávia. O time atleticano venceu os europeus, então, campeões olímpicos de futebol, em pleno Mineirão por 3-2, para orgulho de sua torcida.

Um ano depois esse time do Galo venceu a seleção brasileira, sim, o time de Pelé, Tostão, Gerson e cia, perdeu para o Atlético no gramado do Mineirão para a alegria e delírio da Massa. Esta bola esteve nestes dois encontros históricos para gloriosa memória atleticana.   

Bola 3 | Campeão Brasileiro de 1971

A bola dourada, uma referência a estrela dourada do Clube Atlético Mineiro, uma homenagem da CBD (atual CBF). Esta é uma referência a conquista do primeiro campeonato brasileiro de futebol, disputado em 1971, e vencido pelo Galo. Até hoje o Atlético carrega com orgulho a estrela dourada em seu escudo, como uma referência a esta histórica conquista, pelo time comandado pelo técnico Telê Santana e com os gols do artilheiro, Dadá Maravilha.,

Bola 4 | 1978-83 | Galo Hexacampeão 

Esta bola é uma referência ao super time do Galo, Hexacampeão Mineiro entre 1978 a 1983. Esse time ainda chegou em duas finais de Campeonato Brasileiro de 1977 e 1980, e encantou o país e o mundo com seu futebol ofensivo e talentoso. Essa que é considerada a melhor geração de jogadores do Atlético, contava com genial Reinaldo, o maior artilheiro do Galo e do Mineirão. Além de craques como Éder, Paulo Isidoro, Toninho Cerezo, Luisinho, Nelinho, João Leite, dentre outros. Esta sequência de títulos, é maior desde da a profissionalização do futebol em Minas Gerais e da fundação do Mineirão.

Bola 5 | Galo Bicampeão Conmebol

Esta bola marcou a década de 1990, um período marcado pelo primeiro título sulamericano do Galo, a Copa Conmebol. O Atlético venceu esta importante competição sul-americana por duas oportunidades, a primeira em 1992, contra o Olímpia do Paraguai. E pela segunda vez em 1997, diante do Lanús da Argentina. A Copa Conmebol era disputada pelos 5 melhores classificados nos campeonatos nacionais. O índice técnico da competição era alto, e as partidas eram bem disputadas. Nestas conquistas brilharam craques do Galo como Sérgio Araújo, Moacir, Aílton, Negrini, Marques, Valdir Bigode, Taffarel e outros.    

Bola Galo 6 | Centenário 2008

Em 25 de março de 2008, o Clube Atlético Mineiro, comemorou seus 100 anos de fundação. 

Neste primeiro um século de existência o Galo celebrou junto com a sua torcida os seus 100 anos de conquistas, lutas e glórias. Na época as comemorações pararam Belo Horizonte, sendo o Atlético, o primeiro time de Belo Horizonte a chegar a marca dos cem anos de fundação, e como protagonista do futebol mineiro.

Bola 7 |  Libertadores 2013 – Galo conquista a América

Esta bola traz recordações maravilhosas para a imensa e apaixonada torcida atleticana. Em uma campanha marcada por vitórias emocionantes em placares improváveis, o Galo venceu o Olímpia do Paraguai no Mineirão nos pênaltis após reverter um placar de 2-0. Esta foi a marca do Atlético na competição, quando teve o Milagre do Horto, quando São Victor, salvou o time contra o Tijuana. Na partida seguinte, o gol salvador de Guilherme, no apagar das luzes que levou o Galo para a vitória na disputa de pênaltis. Esse time marcou o coração da torcida com a mescla da experiência de craques como Ronaldinho Gaúcho, Victor, Jô, Léo Silva, Réver e Tardelli e a juventude de Bernard e Luan. Esse time entrou para história da Copa Libertadores e eternizado no coração da Massa.  

Bola Galo 8 | Caixa

Nascido em Três Pontas, o narrador conhecido como um dos mais completos, começou na Rádio Três Pontas com apenas 16 anos, passou pela Rádio Sentinela FM antes de ir para a Globo, onde narrou pela Rádio e pelo canal Sportv.

Ingressou na Rádio Itatiaia em 1993, mas a história de Mário Henrique com a torcida atleticana começou de vez quando teve a difícil missão de substituir o narrador Willy Gonser, que se aposentou em 2009. Dono de uma narração esportiva marcante, Mário Henrique, criou o bordão que o identificou na hora máxima do futebol o gol – cada gol do Galo vem acompanhado do grito de: É Caixa! Assim, Mário Henrique com sua voz potente e marcante entrou de vez no coração da Massa Atleticana com as narrações históricas nas conquistas da Copa Libertadores de 2013 e Copa do Brasil de 2014. Por que, ele sabe, de que é de “Caixa”, que a massa do Galo gosta!

Bola 9 | Final 2014 a Copa do Brasil é do Galo

Um ano após a espetacular conquista da Copa Libertadores da América de 2013, o Galo ainda reservava fortes emoções para sua fanática torcida. 

Em uma campanha marcada por virada impensáveis e ainda não vistas na competição. O Galo reverteu dois resultados adversos de 2-0 contra Corinthians e Flamengo, vencendo ambos por 4-1, no Mineirão. Detalhe, em ambas as partidas o Galo começou o jogo perdendo, e passava a ter a obrigação de fazer 4 gols em seus adversários. E o Galo fez, sendo marcado de vez como “o time da virada”. Na grande final o Galo enfrentou seu grande rival local, o Cruzeiro, e não teve piedade do seu adversário, vencendo as duas partidas das finais, por 2-0 e 1-0, não dando margem para o azar. Esta conquista foi marcante por craques como Tardelli, Luan, Dátolo, Guilherme, Leandro Donizete, Pierre e outros.

  

Bola 10 – R10, o Bruxo do Galo

Provavelmente entre os maiores jogadores de todos os tempos, Ronaldo de Assis Moreira – o Ronaldinho Gaúcho. 

Este brilhante camisa 10, que por duas vezes foi eleito o melhor do mundo, fez história com a camisa da Seleção Brasileira e Barcelona. Chegou no Galo em 2012, em busca de recomeçar a sua carreira, e com a camisa atleticana, encontrou a redenção na vida e no futebol. Era chamado de bruxo pela torcida pelas suas jogadas inacreditáveis e foi o grande craque na histórica e emocionante conquista da Libertadores 2013. Ronaldinho estará para sempre na memória e corações da Massa. 

Bola 11 | Final do Mineiro 2020

Esta bola traz um significado recente, mas muito importante. Símbolo da conquista do Campeonato Mineiro de 2020, marca a supremacia do Galo, como o maior campeão estadual com 45 conquistas. Mas, abre os ânimos para uma nova era de vitórias comandados por Jorge Sampaoli, e um time repleto de novas promessas de ídolos da massa bem como velhos conhecidos da torcida. 

Bola 12 | Goleiro Rafael

O goleiro Rafael, chegou para marcar seu nome na história do Atlético e no coração da torcida. 

Dono de um estilo seguro, frio e ágil, Rafael em pouco tempo virou titular e conquistou a confiança da torcida nesse momento de transição. Com defesas incríveis e decisivas foi muito importante nos jogos do campeonato mineiro. Com pouco tempo de Galo, Rafael já chegou ganhando título, e mostrando que é ótimo goleiro e pé quente, do jeito que a Massa gosta. 

Bola 13 | Galo Doido

Símbolo eterno da Massa, o Galo, ganhou um novo adjetivo nos últimos anos. O time do Galo, conhecido por lemas como “caiu no Horto, tá morto” , e o “Galo é o time da virada”. O estilo Galo Doido se tornou uma espécie de simbiose entre torcida e time, que foi personificado por seu mascote. O Galo que nunca desiste da vitória e amassa seu adversário em campo, lutando até o fim pelas conquistas, ao som de “é Galo Doido, doido, doido, doido…”

Quer ter a coleção inteira das Bolas Históricas do Atlético? Associe-se pelo site ou pelo 0800 945 1313 ou se já é associado, basta indicar seus amigos!

  

WhatsApp chat